Terceirizados da Limpeza da Ufam estão com salários atrasados

01/03/2019

De acordo com a Seção Sindical dos Docentes da Ufam, funcionários das unidades da capital e do interior do Estado estão sem receber a dois meses

 

Funcionários terceirizados da Universidade Federal do Amazonas (Ufam) tanto da capital quanto do interior do Estado estão com salários e férias atrasados. Nesta quinta-feira (28), prestadores de serviços se manifestaram no setor Sul do campus da capital (antigo minicampos) para reivindicar a regularização dos pagamentos. A denúncia é feita pela Seção Sindical dos Docentes da Ufam (Adua-SSind). Questionada sobre a falta de pagamento, a universidade não se posicionou até o fechamento desta reportagem.

 

Os prestadores de serviço da ADAP Soluções em Limpeza e Terceirização, que paralisaram as atividades nesta quinta, relataram que estão enfrentando problemas como aviso de despejo, atraso de pagamento de pensão alimentícia, falta de gás de cozinha e até dificuldade para se alimentar.

 

“No dia 5 de março vamos completar dois meses sem salário, quem entrou de férias ou ‘pegou a conta’ também não recebeu, tem gente que está de férias e veio aqui para comer”, contou a serviços gerais, Maria Ângela de Oliveira. Segundo ela, por volta do dia 20, uma funcionária da empresa identificada apenas como Márcia se reuniu com os trabalhadores e alegou que a universidade não havia repassado o dinheiro para a ADAP.

 

 

Universidade Federal do Amazonas (Ufam) (Foto: Divulgação)

“Mas o que a Ufam diz é que independente do repasse a empresa tem que pagar a gente, porque as outras empresas que têm aqui pagaram seus funcionários, só nós que não recebemos”, contou. Ângela que é funcionária da empresa há quase nove anos disse que essa é a primeira vez que ocorre um atraso tão longo no pagamento.

 

Unidades fora da sede

 

No Instituto de Natureza e Cultura (INC), em Benjamin Constant, trabalhadores terceirizados estão com os salários atrasados há um mês e aqueles que entraram de férias não receberam o seu direito, segundo um professor do INC. “Os meses anteriores foram pagos, o mês atual ainda não, e os (trabalhadores) que saíram de férias ainda não receberam”, contou. O docente informou que estão sem receber funcionários das áreas de serviços gerais, portaria e motoristas. A ADAP também é a empresa responsável.

 

A mesma empresa também está com salários atrasados dos terceirizados do Instituto de Ciências Exatas e Tecnologia (ICET), em Itacoatiara. “Quem está atrasado há quase dois meses é o pessoal da ADAP, que é da limpeza, os agentes de portaria estão em dia”, informou um professor do instituto.

 

No Instituto de Ciências Sociais, Educação e Zootecnia (ICSEZ), em Parintins, também há relatos de atraso de pagamento dos terceirizados da área de limpeza desde dezembro de 2018. Um docente do ICSEZ relatou, ainda, que os trabalhadores de copa e portaria receberam há poucos dias o salário de janeiro.

 

Segundo uma docente do Instituto de Agricultura e Ambiente (IEAA), em Humaitá, os funcionários das empresas JF Tecnologia e CSS Guimarães, responsáveis, respectivamente, por conservação e limpeza, e pelo Restaurante Universitário (RU) estavam com pagamentos suspensos. “A diretoria procurou as empresas e tudo foi regularizado. Eles ficaram com os salários atrasados por três meses”, informou.

 

Esclarecimento

 

Em nota, a JF Tecnologia LTDA, diz repudiar de forma “veemente as afirmações inverídicas” em conteúdo produzido pelo Seção Sindical dos Docentes da Ufam (Adua-SSind), intitulada de ‘Terceirizados da Ufam estão com salários atrasados’. De acordo com a empresa, o teor da matéria compartilhada pela Adua é “leviana, atécnica e antiética”.

 

A JF Tecnologia LTDA. “esclarece que cumpre rigorosamente em dia suas obrigações legais, em especial, os direitos de seus empregados, os quais sempre receberam pontualmente seus salários, pois, os valores e missão institucional da empresa repousa no respeito e valorização de seus empregados”.

 

A nota diz, ainda, que “ao veicular informações falsas de comportamentos desonrosos é facilmente perceptível que foram publicadas de forma temerária, sem a mínima prévia averiguação, pois, os representantes da empresa não foram sequer procurados para esclarecimentos prévios para que fundamentassem as informações divulgadas”.

 

A “JF Tecnologia LTDA reafirma o seu repúdio à matéria inverídica produzida pela Adua-SSind, ofensiva à sua dignidade institucional e sua imagem, e reitera que não apenas os salários, mas todas as obrigações perante seus empregados foram e são pontualmente adimplidas, colocando à disposição para quaisquer tipos de esclarecimentos sobre a questão e que as medidas necessárias face os responsáveis serão tomadas para efeitos de retratação e desagravo as levianas afirmações”.

 

***Matéria atualizada dia 1º de março de 2019, às 11h57

assessoria / redacao@diarioam.com.br


Compartilhe