Nota de repúdio

12/11/2019

A Confederação Nacional dos Tralhadores em Empresas de Prestação de Servicos de Asseio e conservação, Limpeza Urbana e Areas Verdes (CONASCON), juntamente com suas entidades filiadas e associadas repudia veementemente o preconceito sofrido pela gari Paulina Carvalho, trabalhadora do setor de Limpeza Urbana de Porto Velho, Rondônia.

 

Paulina conta que sofreu “preconceito” por estar maquiada. De acordo com a moça, uma mulher parou o carro e questionou por que ela usava maquiagem, já que ficaria suja de qualquer forma, por estar limpando as ruas


Compartilhe