Sindicatos, Ministério Público do Trabalho e familiares de vítimas rejeitam proposta de indenização da Vale em Brumadinho

14/02/2019

Em nota divulgada o Sindi-Asseio - Região Metropolitana de Belo Horizonte divulgou o resultado da assembleia realizada na Câmara de Vereadores de Brumadinho/MG.

 

NOTA DE ESCLARECIMENTO

 

No dia 13/02/2019, na Câmara dos Vereadores do Município de Brumadinho, Estado de Minas Gerais, foi realizada uma Assembleia, convocada pelo Ministério Público do Trabalho – MG, com o fito de deliberar acerca da proposta da Empresa Vale (Ata em anexo), pertinente às indenizações decorrentes da morte e desaparecimento de mais de 320 trabalhadores, vitimados na abissal tragédia provocada pela irresponsabilidade do poder econômico.

 

Estavam presentes no ato,  o Ministério Público do Trabalho, o INSS, a Defensoria Pública Federal, Entidades Sindicais Profissionais e grande número de familiares dos atingidos diretamente pela criminosa tragédia humana e ambiental.  

 

Parte das vítimas dessa tragédia são funcionários da MANSERVE e SODEXO, trabalhadores terceirizados que prestavam serviços nas áreas de asseio e conservação na Vale.

 

A proposta insignificante ofertada pela empresa foi sumariamente rechaçada pela totalidade dos presentes, que de forma consciente, optaram pela unidade na luta, que, inclusive, assim se manifestou uma das mães que perdeu o filho, engenheiro, recém formado, em tenra idade, com a seguinte frase: "vamos até o fim". 

 

Os trabalhos se desenvolveram em clima de grande consternação, dor e ira dada a proporção dos fatos, mas, em resposta deliberou-se pela criação de uma comissão composta pelo Ministério Público do Trabalho, INSS, Defensoria Pública Federal, Entidades Sindicais Profissionais e um grupo de dez parentes das vítimas.

 

Esta comissão, sob coordenação do Ministério Público do Trabalho, tem como objetivo, intimar os representantes da empresa ''Vale'', para reiniciar as negociações com a participação efetiva de todos, invertendo a lógica imposta pela empresa que no momento "escolhe" com quais atores dialoga.

 

O Sindi-Asseio RMBH, não se nega e não se negará a acompanhar as famílias e os demais atores, até as últimas consequências. 

 

Entendemos que tudo que a empresa fizer, é pouco ante aos danos que ela causou. Sabemos que reparação financeira não trará de volta as vidas perdidas, mas, temos a convicção de que as indenizações têm que ser de valor expressivo para que, de forma pedagógica, o poder econômico nunca mais subjugue os trabalhadores e suas famílias.

 

Será com sangue nos olhos que faremos valer o interesse de cada um dos atingidos, seja na esfera trabalhista, cível ou criminal.

 

Sindicato dos Empregados em Empresas de Asseio, Conservação e Limpeza Urbana da Região Metropolitana de Belo Horizonte.

 

Clique aqui e veja a íntegra da ATA


Compartilhe